19 de agosto de 2015

Sobre isso a que chamam Felicidade

Somos todos diferentes, mas algo é comum a todos : queremos ser Felizes.

No entanto, num mundo em que ser diferente é a "nova normalidade", como devemos definir esse conceito que é o ser Feliz?

Acho que continuamos a procurar a Felicidade ao modo Disney, com Príncipe e Bruxa Má, mas o desafio é que já não somos as Princesas submissas perante os azares da vida, já não há ratinhos mágicos a costurarem as nossas roupas (vamos à Zara e pronto). Mais! A Fada Madrinha está ocupada nas manifs a reclamar da reforma e não tem tempo para transformar as abóboras da nossa vida em fantásticos Prius.

Isto dito, sabendo que o "o caminho faz-se caminhando"(obrigada Bruno de Carvalho, por me relembrares desta), continuamos tantas vezes à espera desse ideal de Felicidade, com a trança ao léu, num castelo de fantasias a costurar posts de facebook suspirantes.

Então e se ser Feliz requerer trabalho e esforço? E se o que te faz verdadeiramente Feliz não for esse ideal de família extensa, casa grande e golden retriever? E se fores Feliz sozinha/o ou em modo um mais um, sem multiplicação? Ou se quiseres uma equipa de futebol e o teu sonho for ser a melhor mãe/pai do mundo? E se ser Feliz passar pela tua carreira? E se desde criança sonhas com a aventura do romance e colavas posters da Bela Adormecida no quarto? E se no fundo gostas é do amor à moda mexicana, caliente e raivoso? E se...e se.... e se!

Somos todos diferentes. Terá a Felicidade de ser igual para todos?



Imagem retirada do Google

Sem comentários:

Enviar um comentário