20 de maio de 2016

Medo, Desculpas e Queixas

Existem momentos na vida em que as mudanças se dão, em avalanche, como se não pudéssemos escolher o caminho a seguir pois estamos a cair pelas escadas aos trambolhões, sem corrimão que nos salve? Sim, existem.

Mas temos mesmo de ser tão queixinhas sobre isso? Não, não temos.

Nem sempre podemos escolher o que nos acontece, tantos que são os elementos com que temos de lidar, mas podemos escolher a nossa atitude : uma proactiva, de intervenção em direcção à melhoria; outra passiva, reclamante, à espera dos milagres que não acontecem.

Agimos muito por Medo: de perder, de ficar, de fazer, de não fazer, de ser amados e de ser rejeitados.
Agimos pouco sem Desculpas: de não saber, de não ter jeito, de não valer a pena, de não ser capaz.
Agimos menos do que nos Queixamos: do que nos falta, do que temos a mais, do que queremos.

Sinto que muitas pessoas se protegem na segurança da "coitadice", pela coragem que lhes falta de serem aquilo que merecem ser : Grandes. Eu própria já me escondi na sombra, porque o sol queimava. Mas será que chegámos a uma sociedade que se nega o direito de sonhar? De ser feliz? Porque se acham tão "pobres coitados" que se habituaram a ser pequenos?

É difícil arriscar e falhar? É. Vamos sofrer? Sim. Mas não há caminho fácil em direcção a nada que valha a pena. Tento convencer-me todos os dias desta certeza : o que sinto são dores de crescimento.

Por isso peço a todos :

Deixem o Medo : muitas vezes as coisas não são assim tão más ou tão definitivas... e as que o são, se estão fora das nossas mãos resolver, só nos resta aceitá-las e viver com elas, livres de peso. O medo deve servir para nos proteger, não para nos reter cativos de monstros imaginários que nos impedem de chegar onde queremos chegar.

Parem com as Desculpas : ser feliz não é pecado, mas poder ser feliz e optar por se ser miserável, isso sim é pecado. Há tanto que não podemos mudar, porque continuamos a arranjar desculpas amedrontadas para deixar de mudar o que podemos? A vida já vos vai dar motivos que cheguem para vos cansar, não precisam de adicionar a isso desculpas inventadas por falta de vontade de fazer.

Parem com as Queixas : não vos levam a lado nenhum, apenas cansam quem está ao vosso lado. Todos temos o direito de desabafar, mandar alhos e bugalhos pró alto. Todos temos o nosso direito a autocomiseração doseada, mas será mesmo necessário fazer disso modo de vida? Estará mesmo assim tudo tão mal? Serão vocês assim tão pouco merecedores de valor? Claro que não!

Ninguém é perfeito, mas podemos ser todos menos cansados e cansativos se vivermos mais pela coragem, pela vontade, pela fé, do que pelo que nos assusta, pelo que não queremos fazer, pelo que nos falta.

É uma escolha. Difícil, mas possível. Vamos tentar?


1 comentário:

  1. Se deixarmos que o medo nos impeça de seguir em frente, fazer coisas, arriscar, amar... então deixamos de viver.

    Não faço ideia da primeira vez que li isto, mas faz todo o sentido na minha cabeça: "what if I fall?" "Oh but my darling, what if you fly?"

    ResponderEliminar